Quem são Seus Conselheiros

(1 Re. 12:1-15; Pv. 15:22, 19:20)

Você lembra os momentos de prova na escola? Principalmente as provas das matérias nas quais tínhamos dificuldades. Como seria bom poder contar com um bom conselho naqueles momentos. Nossos pais diriam: filho (a) estude antes da prova. Nossos amigos por sua vez diriam: não se preocupe, eu te passo a cola. A questão aqui é saber escolher o conselho certo, pois aparentemente eles nos levam a uma solução. Saber escolher quais conselhos ouvir, podem nos ajudar a encontrar a vontade de Deus em determinadas situações, mas saber de quem os ouvir, essa é a grande questão.
Durante o período imperial de Israel, o que ficou conhecido como o período do reino dividido, período posterior aos reinados de Saul, Davi e Salomão, foi marcado, logo de início por essa mesma questão. Saber de quem ouvir conselhos. O rei Roboão, filho de Salomão, foi procurado por seus súditos acerca de um determinado assunto, este por sua vez procurou os anciãos do povo os quais disseram ao rei: “se, hoje, te tornares servo deste povo, e o servires, e, atendendo, falares boas palavras, eles se farão teus servos para sempre. ” Mas Roboão, não deu ouvidos aos conselhos dos anciãos e preferiu consultar seus amigos de infância.

Talvez eles quisessem ajudar, mas o que sabiam sobre o julgo imposto por Salomão, ou como tratar seus súditos? O rei prefere atender o conselho dos jovens e inexperientes e toda a nação de Israel sofre as consequências.

Todos os dias somos confrontados com situações que exigem de nós decisões. Voltamos à hora da prova, a quem ouviremos? Nossos pais, professores, pessoas que nos ensinam, que são experientes, pois já passaram por muita coisa a nossa frente.
É bem provável que eles tenham uma boa palavra para nos dar. Busque alguém que possuam base e experiência nos assuntos que estão sendo exigidos no momento. Coloque-os diante de Deus e busque a sua vontade, pois ela é boa, agradável e perfeita.

Por: Rev. Marcelino Machado

Colunista: Rev. Marcelino Machado