Celebrando a vida!

“Este foi o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele.” Sl 118.24

        No aspecto semântico, o vocábulo dia, refere-se ao substantivo masculino gramatical, significando: período de tempo em que a terra está clara, ou um intervalo entre uma noite e outra, abrangendo um espaço de 24 horas. Todavia não pretendo me ater neste prisma. Devemos, sobretudo, agradecer a Deus por sua existência, podendo, naturalmente, desfrutar de suas beneficies e seus inopinados desafios. No sentido pragmático, jamais terá outro similar, o dia de hoje é fundamentalmente diferente de ontem, como o do amanhã será desigual ao de hoje. Não se repete. Ao descortiná-lo, o façamos com cuidado, aproveitando cada momento disponibilizado. Sl 35.5

        Oportuniza-nos situações complexas, facilita as experiências, norteia o nosso barco da vida. Em seu crepúsculo, temos o inenarrável privilégio e o exercício prático de ponderar os acontecimentos, rever resoluções e tomar medidas preventivas e prudenciais para lhe dar seqüência posteriore. Neste campo devemos proceder com sapiência cirúrgica. Todo cuidado é pouco.

        Por outro lado devemos agradecer pela nossa existência, está vivo e bem, é um presente singular e incomparável de Deus (Sl 104.29; At 17.25,28). Reconhecer essa fineza e gentileza divina é uma ação nobre que poucos têm (Jo 15.5; 1 Pe 5.7; 1 Ts 5.18).

       Em que pese às adversidades e os problemas existenciais, precisamos entender que é necessário a cautela, o olhar cirúrgico e as decisões a serem tomadas. A lógica e a racionalidade devem ser fontes de apreciação, por conseguinte, serenidade no posicionamento. Estejamos prontos e preparados para as surpresas e enfrentamento do dia-a-dia.

        A vida é uma escola onde aprendemos lições. Lições estas que nos farão amadurecer no porvir. É um livro diário. Nele paginamos e observamos cada passo dado. Na ótica gramatical, naturalmente, vemos emprego e aplicativo do ordenativo ortográfico, revelando e reportando as pausas, exclamações, ponto final, etc. Cabe-nos elucidar com clareza seus irrefutáveis significados. Talvez e provavelmente o que se passa em nosso redor, seja mister, ver qual a sinalização, trata-se de uma pausa menor ou de um ponto final. Ao identificar, saberemos com cuidado, qual direcionamento e encaminhamento tomar.

        Alguém frisou: “o que não podes resolver, resolvido estar”. Parafraseando: numa linguagem prática – não quebre sua cabeça. Siga adiante. Entregue nas mãos de Deus. Sl 37.4,5

         Isto posto a gratidão e o reconhecimento são componentes indispensáveis no cotidiano. A sobrecarga emocional, bem como os problemas advindos de varias direções é fato. Porém procuremos tirar proveito delas. É um aprendizado diário. Em sinte-se, celebre a vida com naturalidade. Celebrando a vida é um exercício constante que devemos aprazivelmente fazê-lo.

Que Deus nos ajude. 1 Ts 5.25

Colunista: Janilson Lima