AINDA QUE

Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. (Hc 3:17-18)

Lemos este texto bíblico, cantamo-lo nos cultos, citamo-lo em nossas postagens e, ainda assim não estamos preparados para vivenciá-lo em sua plenitude. Lê-lo para os outros e pregá-lo aos demais é, até certo ponto, simples. Passar pela experiência do AINDA QUE é muito mais difícil. Essa locução conjuncional constituída pelo advérbio AINDA e a conjunção QUE exige uma verdadeira abnegação. No texto falamos de figueiras que não floresceram. Mas, sejamos honestos, quantos de nós possuem figueiras? Também falamos sobre o produto da oliveira e de campos que não produziram mantimentos. A maioria de nós traz esses produtos do supermercado! Também falamos de ovelhas furtadas e currais vazios. Isto soa lindo, mas talvez não seja a realidade da maioria de nós.

O princípio aqui contido é AINDA QUE tudo venha a dar errado eu me alegrarei no Senhor. Não, não gostamos disto. Nós preferimos a expressão SE, condicionando o nosso louvor ao suprimento que Deus terá que nos dar. Ou talvez QUANDO, acreditando que tudo irá mudar e que estaremos em situação mais confortável. Ocorre que, na soberania divina, Ele nos conduz por onde quer e nos admoesta para que aguentemos tudo com resignação. Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. (Ap 2:10). Jó, o homem da paciência, disse, no meio da dura enfermidade, na perda de todo o patrimônio e na morte dos filhos: Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele. (Jo 13:15)

Que tal fazermos conjecturas sobre o princípio na realidade de nossas vidas?

Ainda que a idade tenha chegado e que as minhas pernas não tenham a mobilidade de antes;

Ainda que eu tenha perdido todo o meu dinheiro num negócio mal feito;

Ainda que a minha vista esteja fraca e não tenha mais tratamento adequado;

Ainda que o diagnóstico seja desanimador por parte do médico;

Ainda que a diabete tenha levado embora a saúde dos meus rins e corroído um dedo do meu pé;

Ainda que eu tenha sido demitido meses antes da aposentadoria e perdido o convênio médico;

Ainda que eu tenha sido traído pela namorada ou noiva e desmarcado o casamento;

Ainda que tenham roubado a minha idéia e tenham prosperado às minhas custas;

Ainda que o meu filho tenha feito as escolhas erradas e desprezado os próprios pais;

Ainda que eu tenha sido esquecido por amigos e colegas;

e, no caso de ministros religiosos,

Ainda que eu tenha perdido um ministério ou esteja no banco de reservas indefinidamente,

AINDA ASSIM EU LOUVAREI AO SENHOR.

No dia em que trocarmos o QUANDO DEUS ME ATENDER e o SE DEUS ME DER, por um AINDA QUE ISTO SEJA ASSIM, e O louvarmos com sinceridade e abnegação, teremos, enfim, alcançado a maturidade e o crescimento no Senhor.

AINDA QUE não abole a fé; cumpre-a, pois assim nos ensina Deus: Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. (1Ts 5:18)

Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. (Jo 14:23)

 

 

Wagner Antonio de Araújo

 

Colunista: Socorro Macêdo